A todo momento, encaramos os estressores que se apresentam como desafios para vencermos de forma assertiva e adaptada. Acontece que, na maioria das vezes, nosso sistema reconhece estes estressores como ameaças e, quando menos percebemos, estamos reagindo aos mesmos de forma agressiva ou de forma passiva, inconscientemente.
De acordo com nossos padrões de reatividade, aprendidos desde muito cedo, vamos nos condicionando mais e mais a estes “pilotos automáticos”, reativos, seguidos por tantos “caminhos cerebrais” que se criam e se estabelecem em nosso sistema. Ficamos vendidos e, por tantas vezes, perdidos e desconectados de nós mesmos, sendo caracterizados, marcados e rotulados por estas reações automáticas.
Todo o nosso sistema neurológico vicia-se nestes padrões e não temos muita saída diante da inconsciência de todo o processo. E o problema não consiste nos estressores, literalmente falando, pois, os mesmos não deixarão de aparecer no nosso dia a dia. O problema se revela pela forma como somos condicionados a reagir momento e a momento. Como mudar estes padrões? Como sermos mais assertivos, então? Como lidar com nossas dificuldades de reconhecimento destes estressores e alterar todo o processo de reatividade automática?
Meta auspiciosa para quem pratica meditação!
Sim, pois a mesma carrega consigo a ancoragem destes desafios com sabedoria, paciência e consciência, pré-requisitos necessários para o enfrentamento destes estressores nossos do dia a dia!
Partimos do princípio que a prática meditativa diária atua na regulagem de todo o sistema e prepara-nos, de forma coerente e presente, para acionarmos os mecanismos necessários para respondermos inteligentemente diante dos estressores, ao invés de reagirmos aos mesmos automaticamente.
O sistema aprende, pela prática, a detectar os “alarmes” estressores, e, pela respiração consciente, prepara-se para a tomada de decisões, fazendo uma leitura rápida das possibilidades de atuação!
A respiração torna-se a chave para atravessarmos o automatismo, tomando posições mais ajustadas, mais adaptadas para cada momento.
A meditação regular carrega consigo o poder de alterar as estruturas mais primárias dentro da reatividade, iluminando o caminho para a ação consciente e presente, em cada “aqui e agora” que exija uma resposta ativa. Nos tornamos, assim, responsáveis por nossas atitudes!
Pela prática meditativa, aspiramos crescer e amadurecer com
os desafios que nos são apresentados pela vida, aprendendo com os mesmos, evoluindo a cada momento, ativando o melhor em nós, desenvolvendo nossa amorosidade genuína ao lidarmos com nossas dificuldades, com generosidade e equilíbrio.