REFLEXÕES SOBRE A
MEDITAÇÃO MINDFULNESS

Esta prática meditativa milenar e revolucionária, também conhecida como Meditação da Plena Atenção, que utiliza a respiração como foco de atenção, vem alterando positivamente a vida de inúmeras pessoas pelo mundo. O surgimento da Medicina Integrativa – a junção mais moderna da Neurociência, Psicologia e Prática Meditativa – agregou sobremaneira o processo de dissolução do sofrimento, seja de ordem física, emocional ou espiritual.

Meditação, hoje, é sinônimo da busca por viver de forma mais harmoniosa e equilibrada trabalhando com habilidades assertivas, trazendo a consciência para o momento presente, ressiginificando assim a mente ora perdida no passado ora no futuro. É importante compreender que estes estados mentais são promovidos pelo apego, gerador de sofrimento.

A DOR É INEVITÁVEL, SOFRER É OPCIONAL

A Plena Atenção traduz a intenção de observarmos as situações, emoções, sensações, pensamentos, contextos da vida, como eles realmente são, abrindo espaço para o desenvolvimento de uma mente de principiante. Esta forma mais consciente do “Eu”, percebe, acolhe, insvestiga e não se identifica com acontecimentos internos e/ou externos, e sim, busca recursos ancorados na prática para movimentar-se e intenciona resolver suas demandas com recursos mais adaptados, ajustados, resilientes e aterrados na realidade de cada momento.

A mente, por vezes deludida, agitada, pertubada, equivocada busca estabelecer o sofrimento, entorpecendo a estrutura e levando o indivíduo a atuar com seus padrões inconscientes e automáticos, aprendidos e espelhados desde muito cedo na vida. A ignorância alimenta estes sistemas arcaicos e viciados na dor e no sofrimento. A dor é inevitável, porém o sofrer pode ser uma opção cega de quem está perdido e desconectado de si mesmo.

CESSANDO O SOFRIMENTO: UM TRABALHO INDIVIDUAL

O sofrimento existe. É uma verdade. Ele tem causas. Outra verdade. Ele pode ser cessado e pode também ser abandonado quando atingimos a clareza, a abertura, a lucidez e a liberdade do existir. E este é um trabalho puramente individual.

A Prática Meditativa vem sendo utilizada como uma ferramenta de obervação e investigação de toda esta carga de sofrimento, trazendo um refúgio seguro para quem já compreende a importância de Meditar e para quem já se permite escancarar as portas do “EU” para alcançar a reconexão pela consciência e pela sua verdade. Diante de toda e qualquer dificuldade é possível respirar conscientemente, abrir espaços antes de reagir, decidir aonde colocar a atenção, o foco e experimentar saídas mais apropriadas para cada situação.


NOSSA PROPOSTA: INTEGRAÇÃO DE MINDFULNESS E O PROCESSO INDIVIDUAL

Nossa proposta aqui é trazer elementos que propiciem a prática meditativa conciliando também toda nossa experiência com a dor humana, numa linguagem mais leve e mais próxima do nosso tempo, da nossa própria experiência, das nossas intenções, valorando o lugar aonde “AINDA” estamos em nosso processo.

Não há nenhuma intenção em abordar a Meditação como prática religiosa, mas expandindo a possbilidade da pluralidade das experiências, acolhendo a que chega, do jeito que chega. Afinal, é o que é. Não há controle em lugar algum, e nossas reflexões fluirão naturalmente à medida que abrimos nossos corações generosos na partilha e na compaixão de nossos processos ainda difíceis, lembrando-nos de que mesmo a nosso modo, estamos já no caminho.

E seguindo esta linha de amorosidade e carinho lembro que sempre de que daqui de onde estamos temos feito o melhor que pudemos por nós mesmos, e que ESTÁ TUDO BEM DO JEITO QUE ESTÁ.

No foco, Neiva Fernandes.